ter., 30 de jun. | Evento ao vivo e online

Arquitetura Ambiental

A inscrição está fechada
Arquitetura Ambiental

Horário e local

30 de jun. de 2020 09:00 – 13:00 BRT
Evento ao vivo e online

Sobre o evento

A intensidade da devastação ambiental anunciada pela Era do Antropoceno demanda novas formas de ensino e de produção de conhecimento baseadas em um pensamento transdisciplinar, engajado e decolonial, que tenha foco na co-dependência das formas de vida e os sistemas da Terra, assim como a coexistência de visões alternativas de mundos. O curso Arquitetura Ambiental propôs três leituras que indagam de maneira critica ao Antropoceno desde o pensamento indígena, a antropologia, e as humanidades ambientais: Ideias para adiar o fim do mundo, de Ailton Krenak; Há mundo por vir?: ensaio sobre os medos e o fins, de Deborah Danowski e Eduardo Viveiros de Castro; e Arts of living on a damaged planet, Ghosts and Monsters of the Anthropocene editado por Anna Tsing, Heather Swanson, Elaine Gan e Nils Bubandt. Baseado nas figuras dos monstros e fantasmas propostas nesse último livro, o evento apresenta os trabalhos dos estudantes, entre propostas técnicas e de pesquisa, cartografias radicais e arquiteturas especulativas:

Fantasmas

Eleonora Paoli, HAUNTED LANDSCAPES OF EXTRACTION

Alice Piva, SIMPOEI EX-MACHINA

Mirelli Gomes, OS CORES DA CIDADE SUBMERSA

João Barbosa, MAMANGUAPE NO ANTROPOCENO

Monstros

Carolly Barbosa, IMUNIDADE AFETIVA ATRAVÉS DA EXPOSIÇÃO

Gianna Simões, A PANDEMIA NOS ASSENTAMENTOS INFORMAIS

Ana Beatriz Queiroga, PILOSOCEREUUS GOUNELLEI BIO-ARQUITECTURA

Carol Alburquerque, A REINVENÇÃO DO VERNACULAR COMO MEIO

Janaina Araujo, O RETORNO DAS PAUSAS CONTEMPLATIVAS

Mariana Rivas, CARTA AO ARQUITETO DO PÓS FIM DO MUNDO

Debatedores: Shundi Iwamizu, Letícia Palazzi Pérez e Priscila Pedrosa.

Shundi Iwamizu é arquiteto e urbanista formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em 1999, Mestre pela FAUUSP com a pesquisa “A Estação Rodoviária de Jaú e a dimensão urbana da arquitetura” em 2008, Doutor pela FAUUSP com a Tese “Eduardo de Almeida, reflexões sobre estratégias de projeto e ensino” em 2015. Fez parte das equipes vencedoras nos concursos para as unidades SESC Franca e Ribeirão Preto, Casa Caramuru, Estação de Mairinque e Museu Água. Professor de projeto de arquitetura na Escola da Cidade (2005 – 2014), FAU USP (2016 – 2017), SENAC (2015 – 2018) e FAU Mackenzie (desde 2018). Atualmente, é coordenador da disciplina Estúdio Vertical da Escola da Cidade.

Letícia Palazzi Pérez é geógrafa, especialista em sensoriamento remoto, mestre em engenharia e doutora em geografia física, é professora visitante, no Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e uma das autoras da 4ª Comunicação Nacional do Brasil à Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). Leciona e pesquisa sobre os temas vulnerabilidade socioambiental e planejamento urbano adaptado à emergência climática, a partir do uso de ferramentas (geo) computacionais.

Priscila Pedrosa é advogada, ativista, fundadora do Coletivo Habeas Corpus, Doutoranda em Sociologia e Direito na UFF, com pesquisa sobre Cooperativismo de Plataforma, é idealizadora da Codemy, um laboratório de pesquisa em formato de cooperativa de plataforma que busca inovar nos métodos de ensino e pesquisa, na qual pesquisadores e professores podem produzir trabalhos autônomos e independentes na área acadêmica, trabalhando em cooperação. Entre os projetos da Codemy, organizou e desenvolveu o curso Chernobyl e as vidas contáveis: uma análise a partir da Metamorfose do Mundo de Ulrich Beck.

Links relacionados:

- Ementa do Curso e Aulas en video https://pablodesoto.org/teaching/arquitetura-ambiental/

- Do possível fim da pandemia ao provável fim do mundo, podcast-entrevista a Pablo DeSoto: Do possível fim da pandemia ao provável fim do mundo https://open.spotify.com/episode/4EZVHHMJ7SC2a2qMNUIVOF

Cartaz: Carolly Barbosa

A inscrição está fechada

Compartilhe este evento